.

.
Imagem da reflejosdeluz.net

quinta-feira, 25 de outubro de 2012

Vida viva


Albert Schweitzer, prêmio Nobel da Paz de 1952, foi teólogo e músico europeu que, pensando em servir mais do que ser servido, aos trinta anos de idade, deixando de lado o alto prestígio social e financeiro que tinha, resolveu cursar Medicina só para poder cuidar na África de milhares de desvalidos. Ele se formou e passou mais de meio século de uma vida profícua (morreu com 90 anos!) usando a própria vida para proteger outras vidas. É dele a frase funda, perturbadora: "A tragédia não é quando um homem morre; a tragédia é aquilo que morre dentro de um homem enquanto ele ainda está vivo". Eo que não pode morrer em vida dentro de alguém? A fé, a esperança, a solidariedade, a fraternidade e a decência. Assim, a vida vive além de si mesma.

Mário Sérgio Cortella, autor de Qual é a tua obra?, Ed. Vozes.
Fonte: Folhinha do Sagrado Coração de Jesus

[Imagem Google]

terça-feira, 16 de outubro de 2012

Oração à Santa Edwiges


[Imagem Google]

16 de outubro - Dia de Santa Edwiges


Santa Edwiges nasceu em 1174 na Alemanha. Filha de Bertoldo IV da Morávia e de sua esposa, Inês de Rochlitz, foi criada em ambiente de luxo e riqueza, o que não a impediu de ser simples e viver com humildade. O seu bem maior era o amor total a Deus e ao próximo.

Aos 12 anos, casou-se com Henrique I (O Barbudo), príncipe da Silésia (um dos principados da Polônia medieval e atual região administrativa da Polônia), com quem teve seis filhos, sendo que dois deles morreram precocemente. Culta, inteligente e esposa dedicada, ela cuidou da formação religiosa dos filhos e do marido.

Mulher de oração, vivia em profunda intimidade com o Senhor. Submetia-se ao sacrifício de jejuns diários, limitando-se a comer alguns legumes secos nos domingos, terças, quintas e sábado; nas quartas e sextas-feiras somente pão e água. Isto sempre em quantidade limitada, somente para atender as necessidades do corpo.

No tempo do Advento e da Quaresma, Edwiges se alimentava só para não cair sem sentidos. O esposo não aceitava aquela austeridade. Numa Quarta-feira de Quaresma ele esbravejou por haver tão somente água na mesa sendo que ele só bebia vinho. Edwiges então lhe ofereceu uma taça, cujo líquido se apresentou como vinho. Foi um dos muitos sinais ou milagres que ela realizou.

Algum tempo depois Edwiges caiu vítima de uma grave enfermidade. Foi preciso que Guilherme, Bispo de Módena, representante do Papa para aquelas regiões, exigisse com uma severa ordem a interrupção de seu jejum. A Santa dizia que isto era mais mortificante do que a sua própria doença.

Dedicou toda sua vida na construção do Reino de Deus. Exerceu fortes influências nas decisões políticas tomadas pelo marido, interferindo na elaboração de leis mais justas para o povo.

Junto com o marido construiu Igrejas, Mosteiros, Hospitais, Conventos e Escolas. Por isto, em algumas representações a Santa aparece com uma Igreja entre as mãos.

Aos 32 anos, fez votos de castidade, o que foi respeitado pelo marido. Quando ficou viúva, foi morar no Mosteiro de Trebnitz, na Polônia, onde sua filha Gertrudes era superiora. Foi lá que Edwiges deu largos passos rumo à santidade. Vivia com o mínimo de sua renda, para dispor o restante em socorro dos necessitados. Ela tinha um carinho especial pelas mulheres e crianças abandonadas. Encaminhava as viúvas para os conventos onde estariam abrigadas em casos de guerra e as crianças para escolas, onde aprendiam um ofício. Era misericordiosa e socorria também os endividados. Em certa ocasião, quando visitava um presídio, ela descobriu que muitos ali se encontravam porque não tinham como pagar as suas dívidas. Desde então, Edwiges saldava as dívidas de muitos e devolvia-lhes a liberdade. Procurava também para eles um emprego. Com isto eles recomeçavam a vida com dignidade, evitando a destruição das famílias em uma época tão difícil como era aquela do século XIII. E ainda mantinha as famílias unidas.

Assim, Santa Edwiges, é considerada a Padroeira dos pobres e endividados e protetora das famílias. Sua morte ocorreu no dia 15 de outubro de 1243. E foi canonizada no dia 26 de março de 1267, pelo Papa Clemente IV. Como no dia 15 de Outubro celebra-se Santa Teresa de Ávila, a comemoração de Santa Edwiges passou para o dia 16 de Outubro. Modelo de esposa, celibatária e viúva, a Santa não faltava à Missa aos Domingos, e isto ela pede aos seus devotos: mais amor a Jesus na Eucaristia e auxílio aos necessitados.
http://pt.wikipedia.org/wiki/Santa_Edwiges

[Imagem Google]

quinta-feira, 4 de outubro de 2012

Jesus convida à abertura de coração

"A missão de fazer o bem não está restrita apenas a um grupo, às estruturas eclesiásticas, aos ministérios ordenados ou a uma comunidade, mas a todos. Deus, pela ação do Espírito, atua onde, quando e como quer, nos homens e mulheres de boa vontade, suscitando profetas e profetisas. Ele nos dá seu Espírito e pede que os nossos membros - olhos, mãos e pés - e todo o nosso ser, estejam a serviço do seu Reino de amor e de justiça."
Ir. Jailda Rocha Caetité, CFA - Petrópolis/RJ - Folhinha do Sagrado Coração de Jesus

[Imagem Google]

segunda-feira, 1 de outubro de 2012

Oração a Santa Teresinha

Ó Santa Teresinha, sois exemplo de simplicidade e de humildade e sempre vos colocastes nas mãos do Pai. Intercedei junto a Deus para que compreendamos o vosso caminho que leva ao céu, para que,  vencendo o egoísmo e o orgulho, possamos construir um mundo melhor e conquistemos os povos para o Reino de Cristo pelo amor, justiça e paz. Fazei com que compreendamos a mensagem do Evangelho e sejamos atraídos a viver o ideal cristão do amor pelo espírito de desapego e doação. Santa Terezinha do Menino Jesus, rogai por nós e protegei os missionários. Amém.

Fonte: Folhinha do Sagrado Coração de Jesus

[Imagem Google]

A oração de OUTUBRO

O jovem Francisco, nos seus 23 anos, buscando pressuroso um ideal de vida, diante do Crucifixo da igrejinha de São Damião, nos arredores de Assis, rezou esta inspirada oração; que se torne também fonte de inspiração para nossa caminhada: “Altíssimo e glorioso Deus, iluminai as trevas do meu coração. Dai-me uma fé reta, esperança certa e caridade perfeita. Dai-me, Senhor, sensibilidade e discernimento. A fim de que eu cumpra [generosamente] a vossa santíssima vontade”. Amém!

Frei Agostinho Salvador Piccolo, OFM – Folhinha do Sagrado Coração de Jesus
[Imagem Google]

Postagens mais visitadas