.

.
Imagem da reflejosdeluz.net

sábado, 28 de fevereiro de 2009

Dinâmica da Quaresma



O que significa a palavra “Quaresma”?O nome Quaresma vem da contração da palavra latina quadragésima, referente ao quarentésimo dia que encerrava esse período. O número quarenta tem um simbolismo próprio na tradição bíblica e, resumidamente, evoca um grande período de tempo. A duração de quarenta dias rememora os “quarenta anos” de peregrinação dos hebreus no deserto após sua saída do Egito.A palavra evoca também os “quarenta dias” de jejum passados no deserto por Jesus, entre o seu batismo e o começo de sua vida pública. E a métrica simbólica do quarenta marca o calendário católico, seus dias santos e de tabela os feriados do ano civil. Os domingos não fazem parte da Quaresma e não são contados. Na prática, a Quaresma não dura quarenta dias e estende-se sobre quarenta e seis.
(Fonte: Guia de Curiosidades Católicas, VOZES)


DINÂMICA:
Objetivos: Levantamento de expectativas individuais, compromisso com si próprio, percepção de si, autoconhecimento, sensibilização, reflexão, automotivação, absorção teórica.
Número de participantes: Indiferente.
Recursos: Envelope, papel sulfite, caneta.
Tempo: 20 min.

Instruções:
· A dinâmica deve ser realizada no início da Quaresma. Na ocasião, fazer a leitura do texto “O que significa a palavra “Quaresma” e, em seguida, conceder de 5 a 10 minutos para silêncio interior (reflexão / interiorização).
· Individualmente, cada participante escreve uma carta a si próprio, como se estivesse escrevendo a seu (sua) melhor amigo(a).
· Dentre os assuntos da carta, deverá abordar: como se sente no momento, o que espera do período da Quaresma, como espera estar pessoal e espiritualmente daqui a 46 dias.
· Destinar o envelope a si próprio (nome e endereço completo para remessa).
· O Facilitador recolhe os envelopes endereçados, cola-os perante o grupo e, após 46 dias aproximadamente, remete ao participante (via correio ou malote).

Sandra Medina Costa

Antes de Ler a Bíblia




Prece para antes de ler a Bíblia

Meu Senhor e meu Pai! Envia teu Santo Espírito para que eu compreenda e acolha tua Santa Palavra! Que eu te conheça e te faça conhecer, te ame e te faça amar, te sirva e te faça servir, te louve e te faça louvar por todas as criaturas. Faze, ó Pai, que pela leitura da Palavra os pecadores se convertam, os justos perseverem na graça e todos consigamos a vida eterna.
Amém.

Açúcar



Um certo dia, a professora querendo saber se todos tinham estudado a lição de catecismo, perguntou às crianças quem saberia explicar quem é Deus. Uma das crianças levantou o braço e disse:
- Deus é o nosso pai, Ele fez a terra, o mar e tudo que está nela; nos fez como filhos dele.
A professora, querendo buscar mais respostas, foi mais longe:
- Como vocês sabem que Deus existe, se nunca O viram?
A sala ficou toda em silêncio... Pedro, um menino muito tímido, levantou as mãozinhas e disse:
- A minha mãe me disse que Deus é como o açúcar no meu leite que ela faz todas as manhãs, eu não vejo o açúcar que está dentro da caneca no meio do leite, mas se ela tira, fica sem sabor. Deus existe, e está sempre no meio de nós, só que não O vemos, mas se Ele sair de perto, nossa vida fica... sem sabor.
A professora sorriu, e disse:
- Muito bem Pedro, eu ensinei muitas coisas a vocês, mas você me ensinou algo mais profundo que tudo o que eu já sabia. Eu agora sei que Deus é o nosso açúcar e que está todos os dias adoçando a nossa vida!
Deu-lhe um beijo e saiu surpresa com a resposta daquela criança.


A sabedoria não está no conhecimento, mas na vivência de DEUS em nossas vidas, pois teorias existem muitas, mas doçura como a de DEUS não existe ainda, nem mesmo nos melhores açúcares...
Boa semana e não esqueça de colocar "AÇÚCAR" em sua vida...

Um jeito diferente de olhar para o Salmo 23 (22)



O Senhor é o meu Pastor,
Isto é relacionamento!
Nada me faltará.
Isto é suprimento!
Caminhar me faz por verdes pastos,
Isto é descanso!
Guia-me mansamente a águas tranqüilas.
Isto é refrigério!
Refrigera a minha alma.
Isto é cura!
Guia–me pelas veredas da justiça,
Isto é direção!
Por amor do Seu nome.
Isto é propósito!
Ainda que eu caminhasse pelo vale das sombras da morte,
Isto é provação!
Eu não temeria mal algum,
Isto é proteção!
Porque Tu estás comigo,
Isto é fidelidade!
A tua vara e o teu cajado me consolam.
Isto é disciplina!
Preparas uma mesa perante mim na presença dos meus inimigos.
Isto é esperança!
Unge a minha cabeça com óleo
Isto é consagração!
e meu cálice transborda.
Isto é abundância!
Certamente que a bondade e a misericórdia me seguirão todos os dias de minha vida
Isto é bênção!
E eu habitarei a casa do Senhor
Isto é segurança!
por longos dias.
Isto é eternidade!
[O que é mais valioso não é o que nós temos em nossas vidas, mas QUEM nós temos em nossas vidas! Pense nisso.]

Símbolos da Quaresma



São vários os símbolos e atitudes que acompanham esse tempo. Os mais importantes são:

- A cor roxa, as cinzas e a cruz
Lembram o caráter de penitência e conversão. A gravidade e o "luto" da Quaresma se manifestam também no visual do espaço celebrativo, sóbrio, despojado. Por isso, nesse tempo, se evita enfeitar o altar com flores.

- Ausência de palmas e cantos de aleluia
Neste período também se recomenda às equipes de liturgia e canto que preparem a celebração sem cantos que tragam a palavra "aleluia" ou que levem os paroquianos a baterem palmas, em sinal de um tempo de abstinência.

- Ausência do rito de louvor
Também na liturgia das missas é retiro o canto de louvor, que vem logo após o rito penitencial, pelo mesmo motivo pelo qual não se batem palmas ou cantam-se louvores.

- O jejum
O jejum e a abstinência de carne expressam a íntima relação existente entre os gestos externos de penitência, mudança de vida e conversão interior. Orienta-nos a dar mais atenção à Palavra de Deus e ganha característica de compromisso com a população empobrecida que se encontra em permanente jejum.

- A Campanha da Fraternidade
Assumindo cada ano uma situação da realidade social, nos ajuda a viver concretamente a experiência da Páscoa de Jesus nas páscoas do povo; nos levando assim, a caracterizar nosso esforço comunitário de conversão por meio de um serviço bem concreto de gestos de solidariedade.

Fonte:
Arquidiocese de Belo Horizonte

Quaresma é tempo de jejum, esmola e oração


O jejum purifica o organismo, proporciona desconforto físico, torna a mente mais clara e coloca-nos em contato com a nossa fragilidade humana, que é sustentada pelo alimento. Leva-nos a pensar que nosso corpo "é pó e em pó se há de tornar". O jejum coloca-nos em contato conosco.
A esmola concretiza a verdade de que somos filhos de um mesmo Deus e Pai, que criou tudo para todos e continua dando provas de amor. Dá-nos oportunidade para partilhar os bens que nos proporcionam conforto material, intelectual, afetivo... lembrando que o Deus da Vida "quer vida em abundância para todos". A esmola aproxima-nos do próximo.
A oração faz-nos entrar em sintonia com Deus, fonte de toda a vida. É um meio de alimentar o espírito, fortalecer a fé e reanimar a caridade. Que nos encontros de família haja tempo para se acolher, rever o dia, pedir perdão e a proteção divina, lembrando que Jesus disse: “onde dois ou mais estiverem unidos, eu estarei no meio deles.” "A oração sintoniza-nos com Deus."

Convidamos você e sua família a criar um espaço sagrado em sua vida e em seu lar e colocar Jesus Cristo em um lugar especial. Que ao final da quaresma, estejamos mais próximos de nós, pelo Jejum; do próximo, pela esmola; e de Deus, pela oração; e, assim, celebrarmos a vitória de Cristo!

A Igreja e a Nação convidam a todos nós para abrirmos as mãos e o coração com gestos de solidariedade. A dar-nos as mãos para a erradicação da miséria e da fome; a educarmos o olhar para compreender e mover ações que possam diminuir o sofrimento de tantos irmãos, filhos do mesmo Deus e Pai, mas que vivem uma quaresma interminável. Que a alegria e a glória da ressurreição da Vida possam se expandir às periferias de nossas cidades, vizinhança, família... e fazer morada em nosso coração!

Ir. Zuleides M. de Andrade, ASCJ - Curitiba, PR
Fonte: Triunfo do Coração de Jesus

domingo, 22 de fevereiro de 2009

Minha Prece de Todo Dia


Deus cuida de mim e me faz ver
os dons e talentos que fiz por merecer.
Nunca estou sozinha, Ele está sempre a me amparar.
Sou capaz, sou forte, sou luz,
pois a misericórdia divina não permite que eu caia.
Que as obras de minhas mãos representem sempre
oração, louvor e fé.
Que o Senhor meu Deus me conceda sabedoria e força
para aceitar o que não pode ser mudado e para mudar o que é preciso;
que me dê o entendimento precioso e a serenidade necessária
para distinguir uma coisa da outra.
Amo-vos, Senhor meu Deus!
Rogo-vos: me cure, me salve, me liberte de tudo aquilo
que é empecilho à ação do Divino Espírito Santo em mim,
em minha vida; rogo-vos em nome em nome de
Nosso Senhor Jesus Cristo, vosso digníssimo Filho.
Amém.

Sandra Medina Costa

Isaías, 55 - A salvação é oferecida gratuitamente a todos os povos


Isaías, 55

Todos vós, que estais sedentos, vinde à nascente das águas; vinde comer, vós que não tendes alimento. Vinde comprar trigo sem dinheiro, vinho e leite sem pagar!
Por que despender vosso dinheiro naquilo que não alimenta, e o produto de vosso trabalho naquilo que não sacia? Se me ouvis, comereis excelentes manjares, uma suculenta comida fará vossas delícias.
Prestai-me atenção, e vinde a mim; escutai, e vossa alma viverá: quero concluir convosco uma eterna aliança, outorgando-vos os favores prometidos a Davi.
Farei de ti um testemunho para os povos, um condutor soberano das nações;
conclamarás povos que nunca conheceste, e nações que te ignoravam acorrerão a ti, por causa do Senhor teu Deus, e do Santo de Israel que fará tua glória.
Buscai o Senhor, já que ele se deixa encontrar; invocai-o, já que está perto.
Renuncie o malvado a seu comportamento, e o pecador a seus projetos; volte ao Senhor, que dele terá piedade, e a nosso Deus que perdoa generosamente.
Pois meus pensamentos não são os vossos, e vosso modo de agir não é o meu, diz o Senhor;
mas tanto quanto o céu domina a terra, tanto é superior à vossa a minha conduta e meus pensamentos ultrapassam os vossos.
Tal como a chuva e a neve caem do céu e para lá não volvem sem ter regado a terra, sem a ter fecundado, e feito germinar as plantas, sem dar o grão a semear e o pão a comer,
assim acontece à palavra que minha boca profere: não volta sem ter produzido seu efeito, sem ter executado minha vontade e cumprido sua missão.
Sim, partireis com júbilo, e sereis reconduzidos em paz; montanhas e colinas aclamar-vos-ão, e todas as árvores do campo vos aplaudirão.
Em lugar do espinheiro, crescerá o cipreste, em lugar da urtiga, crescerá a murta; isso será para o renome do Senhor, um título para sempre imperecível.

sexta-feira, 20 de fevereiro de 2009

Meu desejo


Primeiro: Que você experimente a paz de Cristo que excede todo o entendimento (Filipenses 4:7) - "E a paz de Deus, que excede todo o entendimento, guardará o coração e a mente de vocês em Cristo Jesus."

Segundo: Que você tenha esperança sempre (Romanos 5:5) - "E a esperança não nos decepciona, porque Deus derramou seu amor em nossos corações, por meio do Espírito Santo que ele nos concedeu."

Terceiro: Que você tenha força para vencer todas as lutas (Filipenses 4:13) - "Tudo posso naquele que me fortalece."

Quarto: Que o consolo divino te sustente nas horas difíceis (II Coríntios 1:3,4) - "Bendito seja o Deus e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo, Pai das misericórdias e Deus de toda consolação, que nos consola em todas as nossas tribulações, Para que, com a consolação que recebemos de Deus, possamos consolar os que estão passando por tribulações."

Quinto: Que nunca falte sabedoria para tomar as decisões corretas (Tiago 1:5) - "Se algum de vocês tem falta de sabedoria, peça-a a Deus, que a todos dá livremente, de boa vontade; e lhe será concedida."

Sexto: Que todas as manhãs as misericórdias de Deus te animem (Lamentações 3:22,23) - "Graças ao grande amor do Senhor é que não somos consumidos, pois as suas misericórdias são inesgotáveis. Renovam-se cada manhã; grande é a sua fidelidade!"

Sétimo: Que você seja mais do que vencedor em Cristo (Romanos 8:37) - "Mas, em todas estas coisas somos mais do que vencedores, por meio daquele que nos amou."

Oitavo: Que sua vida seja abundante (João 10:10) - "Eu vim para que tenham vida, e a tenham plenamente."

Nono: Que você se lembre diariamente da razão da sua fé (II Timóteo 1:12) - "Por essa causa também sofro, mas não me envergonho, porque sei em quem tenho crido e estou bem certo de que Ele é poderoso para guardar o que lhe confiei até aquele dia."

Que esta seja uma semana muito abençoada para você e toda sua família.
Deus o abençoe.

Salmo 33 - Ação de graças pela libertação recebida


De Davi. Quando simulou alienação na presença de Abimelec e, despedido por ele, partiu.
Bendirei continuamente ao Senhor, seu louvor não deixará meus lábios.
Glorie-se a minha alma no Senhor; ouçam-me os humildes, e se alegrem.
Glorificai comigo ao Senhor, juntos exaltemos o seu nome.
Procurei o Senhor e ele me atendeu, livrou-me de todos os temores.
Olhai para ele a fim de vos alegrardes, e não se cobrir de vergonha o vosso rosto.
Vede, este miserável clamou e o Senhor o ouviu, de todas as angústias o livrou.
O anjo do Senhor acampa em redor dos que o temem, e os salva.
Provai e vede como o Senhor é bom, feliz o homem que se refugia junto dele.
Reverenciai o Senhor, vós, seus fiéis, porque nada falta àqueles que o temem.
Os poderosos empobrecem e passam fome, mas aos que buscam o Senhor nada lhes falta.
Vinde, meus filhos, ouvi-me: eu vos ensinarei o temor do Senhor.
Qual é o homem que ama a vida, e deseja longos dias para gozar de felicidade?
Guarda tua língua do mal, e teus lábios das palavras enganosas.
Aparta-te do mal e faze o bem, busca a paz e vai ao seu encalço.
Os olhos do Senhor estão voltados para os justos, e seus ouvidos atentos aos seus clamores.
O Senhor volta a sua face irritada contra os que fazem o mal, para apagar da terra a lembrança deles.
Apenas clamaram os justos, o Senhor os atendeu e os livrou de todas as suas angústias.
O Senhor está perto dos contritos de coração, e salva os que têm o espírito abatido.
São numerosas as tribulações do justo, mas de todas o livra o Senhor.
Ele protege cada um de seus ossos, nem um só deles será quebrado.
A malícia do ímpio o leva à morte, e os que odeiam o justo serão castigados.
O Senhor livra a alma de seus servos; não será punido quem a ele se acolhe.

Sl 33

Os Salmos


O Saltério é o livro de oração dos antigos judeus. Também para os cristãos ele tornou-se o livro de enlevos espirituais, depois de o ter sido para o próprio Jesus Cristo.
A palavra “salmo” (psalmus) é a tradução do termo hebraico que quer dizer louvores. Entretanto, esse termo exprime apenas um aspecto do conteúdo desse livro, no qual se encontram lamentações, cânticos de penitência e de reconhecimento, poemas didáticos e súplicas ardentes. Os salmos eram cânticos destinados principalmente ao uso litúrgico do Templo de Jerusalém, mas neles percebe-se muitas vezes o eco de sentimentos religiosos inteiramente pessoais.
(...)
Na literatura da Antiguidade, o caráter religioso dos salmos salienta-se pela sua incomparável profundidade. Todas as cordas do sentimento religioso são neles dedilhadas: respeito à majestade divina, gratidão pela misericórdia infinita e pelo perdão de Deus, absoluta confiança na Providência, penitência e contrição ante os próprios pecados, tristeza e temor dos perigos que nos cercam, paz, consolação, coragem, obediência, alegria e esperança. Por outro lado, os poemas messiânicos e as numerosas alusões ao Filho de Davi tornam os salmos ainda mais familiares às nossas almas cristãs. Não admira, pois, o lugar todos particular que o saltério assumiu na liturgia da Igreja.
(...)
Muitas vezes o homem se vê inclinado para as coisas terrenas e mal consegue rezar. “Não sabemos o que devemos pedir, nem rezar, como convém”, dizia São Paulo (Rm 8, 26). Nos salmos deparam-se-nos maravilhosos formulários de oração que nos ensinaram como nos devemos dirigir a Deus.
Em seu sentido verdadeiro e profundo, os salmos só poderão ser devidamente interpretados por aquele que crê em Jesus Cristo. Isso é evidente quanto aos salmos messiânicos. Mas a mensagem de outros salmos, como de inumeráveis textos bíblicos, só encontra sentido verdadeiro à luz da vida do Senhor Jesus. Os sofrimentos do justo, por exemplo, são, nos salmos, uma clara imagem dos tormentos suportados por Jesus na sua paixão.
O saltério é, em verdade, o livro de oração da Igreja e da alma cristã.
Eis uma escolha entre os mais belos salmos, agrupados de acordo com seu sentido geral:
· Salmos de confiança: 22, 26, 120, 130:
· Ensinamentos da sabedoria: 1, 31, 36, 118;
· Meditações: 8, 9, 11, 35, 38, 48;
· Louvores: 7, 18, 28, 46, 92, 96, 97, 145;
· Salmos reais ou messiânicos: 2, 18, 19, 20, 21, 44, 68, 71, 109, 144;
· Lamentações e orações intensas: 24, 31, 32, 43;
· Ações de graças: 33, 65, 102, 135.

Fonte: Bíblia Ave-Maria

Ao viajar


Senhor, ao iniciar esta nova jornada, peço a tua proteção.
Volta teus olhos para o caminho que ora vou trilhar, estendendo a tua luz sobre todos os meus passos.
Ilumina a minha estrada, pois sempre estou contigo, sou forte e capaz de suportar as lições que me destinas.
Orienta as decisões que deverei tomar.
Acompanha-me e certifica-me de que estarei indo ao encontro das minhas melhores opções.
Faz com que minha jornada tenha sucesso, Senhor.
Livra-me dos perigos, dos acidentes e de qualquer situação que possa me impedir de construir minha felicidade.
Governa as minhas ações e o comportamento daqueles que podem influenciar o meu destino.
Dirige a tua luz divina para este filho teu, que ora com fervor e é motivado pelo teu amor.
Que assim seja para sempre.

Amém.

Quão Grande És Tu


(Composição: C. Boberg - Tradução: N. Emmerich)

Senhor meu Deus, quando eu, maravilhado
Fico a pensar nas obras de Tuas mãos
No céu azul de estrelas pontilhado
O Teu poder, mostrando a criação

(Refrão)

Então minh'alma canta a Ti, Senhor:
Quão grande és Tu! Quão grande és Tu!
Então minh'alma canta a Ti, Senhor:
Quão grande és Tu! Quão grande és Tu!

Quando a vagar nas matas e florestas
O passaredo alegre ouço a cantar
Olhando os montes, vales e florestas
O teu poder mostrando a criação

(Refrão)

Quando eu medito em seu amor tão grande
Teu filho dando ao mundo pra salvar
Na cruz vertendo o seu precioso sangue
Minh'alma pode assim purificar

(Refrão)

E quando em fim Jesus vier em glória
Ao lar celeste então nos transportar
Te adorarei prostrado e para sempre
Quão grande és Tu! Meu Deus hei de cantar.

(Refrão)

A Difícil Tarefa de Esperar




"Esperei confiantemente pelo Senhor; Ele se inclinou
para mim e me ouviu quando clamei por socorro."
( Livro dos Salmos 40.1)

Poucas situações na vida nos incomodam tanto como a espera. Aguardar a chegada de alguém; de uma confirmação ou notícia; de uma resposta à nossa solicitação ou até mesmo de uma encomenda, agita o nosso coração. A inquietude e a expectativa, não raramente, assumem o controle da mente e do corpo. Em decorrência de tal situação, ficamos nervosos e impacientes, restando aos que estão conosco a nobre disposição da paciência e da tolerância diante de nosso insuportável comportamento.

Passando por dias quentes e longas noites, o salmista Davi experimentou a difícil tarefa de esperar. Seu coração, em meio às perseguições, aos deslizes e às perdas, compreendeu o que significava aguardar no Senhor. Ele percebeu que o diferencial não estava na espera em si, mas como ele deveria aguardar.

Confiança e clamor são as duas palavras chaves que acompanham aqueles que esperam no Senhor. Confiam, por isso clamam. Lembram a si mesmos das promessas de Deus e através do seu Espírito encontram a tranqüilidade e a convicção fundamentais à vida. Para os cristãos a fé não está firmada, primariamente, naquilo que eles esperam, mas nAquele em que eles esperam. O alvo de nossa confiança não são os resultados aguardados, mas Aquele que é poderoso para fazer mais do que imaginamos ou pedimos.

É certo que em nossas vidas podemos esperar muito pelo Senhor. Ele não nos decepcionará!

Rev. Sérgio Andrade
Deão da Catedral Anglicana da S.S. Trindade

Fonte:
www.paoquentediario.com.br

A lição do fogo


Um membro de determinado grupo, ao qual prestava serviços regularmente, deixou de participar de suas atividades, sem nenhum aviso. Após algumas semanas, o líder do grupo decidiu visitá-lo.

Era uma noite muito fria. O líder encontrou o homem em casa sozinho, sentado diante da lareira, onde ardia um fogo brilhante e acolhedor. Adivinhando a razão da visita, o homem deu as boas-vindas ao líder, conduziu-o a uma grande cadeira perto da lareira e ficou quieto, esperando. O líder acomodou-se confortavelmente no local indicado, mas não disse nada. No silêncio que se formara, apenas contemplava a dança das chamas em torno das achas de lenha, que ardiam.

Ao cabo de alguns minutos, o líder examinou as brasas que se formavam e, cuidadosamente, selecionou uma delas, a mais incandescente de todas, e empurrou-a para o lado. Voltou então a sentar-se, permanecendo silencioso e imóvel. O anfitrião prestava atenção a tudo, fascinado e quieto. Aos poucos a chama da brasa solitária diminuiu, até que houve um brilho momentâneo e seu fogo apagou-se de vez. Em pouco tempo o que antes era uma festa de calor e luz, agora não passava de um negro, frio e morto pedaço de carvão recoberto de uma espessa camada de fuligem acinzentada. Nenhuma palavra havia sido dita desde o protocolar cumprimento inicial entre os dois.

O líder, antes de se preparar para sair, manipulou novamente o carvão frio e inútil, colocando-o de volta no meio do fogo. Quase que imediatamente ele tornou a incandescer, alimentado pela luz e calor das brasas ardentes em torno dele. Quando o líder alcançou a porta para partir, o anfitrião disse:

- Obrigado por sua visita e pelo belíssimo ensinamento. Voltarei às minhas atividades amanhã. Deus o abençoe!


E seu pedaço de carvão está como???...

terça-feira, 17 de fevereiro de 2009

Breve diálogo entre o teólogo brasileiro Leonardo Boff e Dalai Lama


Leonardo Boff explica:
‘No intervalo de uma mesa-redonda sobre religião e paz entre os povos, na qual ambos participávamos, eu, maliciosamente, mas também com interesse teológico, lhe perguntei em meu inglês capenga:
- 'Santidade, qual é a melhor religião?'
Esperava que ele dissesse:
'É o budismo tibetano' ou 'São as religiões orientais, muito mais antigas do que o cristianismo.'
O Dalai Lama fez uma pequena pausa, deu um sorriso, me olhou bem nos olhos – o que me desconcertou um pouco, por que eu sabia da malícia contida na pergunta – e afirmou:
'A melhor religião é a que mais te aproxima de Deus. É aquela que te faz melhor.'
Para sair da perplexidade diante de tão sábia resposta, voltei a perguntar:
- 'O que me faz melhor?'
Respondeu ele:
- 'Aquilo que te faz mais compassivo (e aí senti a ressonância tibetana, budista, taoísta de sua resposta),
aquilo que te faz mais sensível, mais desapegado, mais amoroso, mais humanitário, mais responsável... A religião que conseguir fazer isso de ti é a melhor religião...'
Calei, maravilhado, e até os dias de hoje estou ruminando sua resposta sábia e irrefutável.

Como Zaqueu quero subir


Como Zaqueu quero subir
O mais alto que eu puder
Só pra Te ver
Olhar para Ti
E chamar sua atenção para mim

Eu preciso de Ti, Senhor
Eu preciso de Ti, ó Pai
Sou pequeno demais
Me dá Tua Paz
Faço tudo pra Te seguir

Entra na minha casa
Entra na minha vida
Mexe com minha estrutura
Sara todas as feridas

Me ensina a ter santidade
Quero amar somente a Ti
Porque o Senhor é o meu bem maior
Faze um milagre em mim

Anjo da Guarda


Ó, espírito soberano,
a quem pertence a guarda de minh'alma,
guiai de tal sorte as minhas ações
que todas se dirijam à salvação
(e se convertam em oração).
Livrai-me de dar escândalo ao meu próximo;
do exemplo dos maus afastai-me;
apartai-me do poder dos tiranos,
da vingança de meus inimigos
e de todos os perigos que podem me acontecer
e dos quais eu não sei me livrar.
Pois só pela vossa ajuda e intercessão
eu serei preservado(a) de todos os males
da alma e do corpo.
Amém.

Ora e silencia



Não te afastes da paciência quando as dificuldades se agravem.
Ainda que provações inesperadas te espanquem o coração, conserva a serenidade e segue adiante, agindo e servindo.
Pensa nos que perderam a fé e tropeçaram na violência; medita nos que tombaram em desespero e resvalaram na loucura.
O verbo que te vergasta pode ser a enfermidade em forma de insulto e a mão que te golpeia estará provavelmente sob o impulso das trevas.
Coragem não é revidar, nem cair na exibição de poder. A coragem verdadeira ergue-se da compreensão e da bênção, quando o desequilíbrio tente assaltar-te.
Em qualquer circunstância, escora-te no esforço de resguardar o bem.
Quando estiveres a ponto de pronunciar qualquer frase irrefletida ou de empreender a mínima ação contra os outros,
ora e silencia, porque o Céu te ouve e Deus te sustentará.
(Chico Xavier)

segunda-feira, 16 de fevereiro de 2009

Entendendo o Pai Nosso


CRISTÃO: Pai nosso que estais no céu...
DEUS: Sim? Estou aqui.

CRISTÃO: Por favor, não me interrompa, estou rezando!
DEUS: Mas você me chamou!

CRISTÃO: Chamei? Eu não chamei ninguém. Estou rezando. Pai nosso que estais no céu..
DEUS: Aí, você chamou de novo.

CRISTÃO: Fiz o que?
DEUS: Me chamou. Você disse: Pai nosso que estais no céu. Estou aqui. Como é que Posso ajudá-lo?

CRISTÃO: Mas eu não quis dizer isso. É que estou rezando. Rezo o Pai Nosso, todos os dias, me sinto bem rezando assim. É como se fosse um dever. E não me sinto bem até cumpri-lo...
DEUS: Mas como podes dizer Pai Nosso, sem lembrar que todos são seus irmãos, como podes dizer que estais no céu, se você não sabe que o céu é a paz, que o céu é amor a todos?

CRISTÃO: É, realmente ainda não havia pensado nisso.
DEUS: Mas, prossiga sua oração.

CRISTÃO: Santificado seja o Vosso nome...
DEUS: Espere aí! O que você quer dizer com isso?

CRISTÃO: Quero dizer... quer dizer, é... sei lá o que significa. Como é que vou saber? Faz parte da oração, só isso!
DEUS: Santificado significa digno de respeito, Santo, Sagrado.

CRISTÃO: Agora entendi. Mas nunca havia pensado no sentido dessa palavra SANTIFICADO. "Venha a nós o vosso reino, seja feita a vossa vontade, assim na Terra como no Céu."
DEUS: Está falando sério?

CRISTÃO: Claro! Porque não?
DEUS: E o que você faz para que isso aconteça?

CRISTÃO: O que faço? Nada! É que faz parte da oração, além disso, seria bom que o Senhor tivesse um controle de tudo o que acontecesse no céu e na terra também.
DEUS: Tenho controle sobre você?

CRISTÃO: Bem, eu freqüento a igreja!
DEUS: Não foi isso que Eu perguntei. Que tal o jeito que você trata os seus irmãos, a maneira com que você gasta o seu dinheiro; o muito tempo que você dá à televisão, as propagandas que você corre atrás, e o pouco tempo que você dedica à Mim?

CRISTÃO: Por favor. Pare de criticar!
DEUS: Desculpe. Pensei que você estava pedindo para que fosse feita a minha vontade. Se isso for acontecer tem que ser com aqueles que rezam, mas que aceitam a minha vontade, o frio, o sol, a chuva, a natureza, a comunidade.

CRISTÃO: Está certo, tens razão. Acho que nunca aceito a sua vontade, pois reclamo de tudo: se manda chuva, peço sol, se manda o sol reclamo do calor, se manda frio, continuo reclamando, se estou doente peço saúde, não cuido dela, deixo de me alimentar ou como muito...
DEUS: Ótimo reconhecer tudo isso. Vamos trabalhar juntos Eu e você, mas olha, vamos ter vitórias e derrotas. Eu estou gostando dessa nova atitude sua.

CRISTÃO: Olha Senhor, preciso terminar agora. Esta oração está demorando muito mais do que costuma ser. Vou continuar: "o pão nosso de cada dia nos dai hoje..."
DEUS: Pare aí! Você está me pedindo pão material? Não só de pão vive o homem, mas também da minha palavra. Quando me pedires o pão, lembre-se daqueles que nem conhecem pão. Pode pedir-me o que quiser, desde que me veja como um Pai amoroso! Eu estou interessado na próxima parte de sua oração. Continue!...

CRISTÃO: "Perdoai as nossas ofensas, assim como nós perdoamos a quem nos tem ofendido"
DEUS: E o seu irmão desprezado?

CRISTÃO: Está vendo? Olhe Senhor, ele já criticou várias vezes e não era verdade o que dizia. Agora não consigo perdoar. Preciso me vingar.
DEUS: Mas, e sua oração? O que quer dizer sua oração? Você me chamou, e eu estou aqui, quero que saias daqui transfigurado, estou gostando de você ser honesto. Mas não é bom carregar o peso da ira dentro de você, não acha ?

CRISTÃO: Acho que iria me sentir melhor se me vingasse!
DEUS: Não vai não! Vai se sentir pior. A vingança não é tão doce quanto parece. Pense na tristeza que me causaria, pense na sua tristeza agora. Eu posso mudar tudo para você. Basta você querer.

CRISTÃO: Pode? Mas como?
DEUS: Perdoe seu irmão, Eu perdoarei você e te aliviarei.

CRISTÃO: Mas Senhor, eu não posso perdoá-lo.
DEUS: Então não me peças perdão também!

CRISTÃO: Mais uma vez está certo! Mais do que quero vingar-me, quero a paz com o Senhor. Está bem, está bem; eu perdôo a todos, mas ajude-me Senhor. Mostre-me o caminho certo para mim e meus inimigos.
DEUS: Isto que você pede é maravilhoso, estou muito feliz com você. E você como está se sentindo?

CRISTÃO: Bem, muito bem mesmo! Para falar a verdade, nunca havia me sentido assim! É tão bom falar com Deus.
DEUS: Ainda não terminamos a oração. Prossiga...

CRISTÃO: "E não deixeis cair em tentações, mas livrai-nos do mal..."
DEUS: Ótimo, vou fazer justamente isso, mas não se ponha em situações onde possa ser tentado.

CRISTÃO: O que quer dizer com isso?
DEUS: Deixe de andar na companhia de pessoas que o levam a participar de coisas sujas, intrigas, fofocas. Abandone a maldade, o ódio. Isso tudo vai levá-lo para o caminho errado. Não use tudo isso como saída de emergência!

CRISTÃO: Não estou entendendo!
DEUS: Claro que entende! Você já fez isso comigo várias vezes. Entra no erro, depois corre para me pedir socorro.

CRISTÃO: Puxa, como estou envergonhado!
DEUS: Você me pede ajuda, mas logo em seguida volta a errar de novo, para mais uma vez vir fazer negócios comigo!

CRISTÃO: Estou com muita vergonha, perdoe-me Senhor!
DEUS: Claro que perdoo! Sempre perdoo a quem está disposto a perdoar também, mas não esqueça, quando me chamar, lembre-se de nossa conversa, medite cada palavra que fala! Termine sua oração.

CRISTÃO: Terminar? Ah, sim, "Amém!"
DEUS: O que quer dizer amém?

CRISTÃO: Não sei. É o final da oração.
DEUS: Você só deve dizer amém quando aceita dizer tudo o que eu quero, quando concorda com minha vontade, quando segue os meus mandamentos, porque AMÉM! Quer dizer: assim seja, concordo com tudo que rezei.

CRISTÃO: Senhor, obrigado por ensinar-me esta oração e agora obrigado por fazer-me entendê-la.
DEUS: Eu amo cada um dos meus filhos, amo mais ainda aqueles que querem sair do erro, quer ser livre do pecado. Abençoo-te e fica com minha paz!

CRISTÃO: Obrigado, Senhor! Estou muito feliz !...Que assim seja!...

LEMBRE-SE DESSE DIÁLOGO TODAS AS VEZES QUE FOR REZAR...
(Autor Desconhecido)

Comprimido para a Fé


OBJETIVO:
Avaliar o grau de nossa fé.

MATERIAL :
- Três copos com água.
- Três comprimidos efervescentes (aqueles com envelope).

DESENVOLVIMENTO:
1. Colocar três copos com água sobre a mesa.
2. Pegar três comprimidos efervescentes, ainda dentro da embalagem.
3. Pedir para prestarem atenção e colocar o primeiro comprimido com a embalagem ao lado do primeiro copo com água.
4. Colocar o segundo comprimido dentro do segundo copo, mas com a embalagem.
5. Por fim, retirar o terceiro comprimido da embalagem e colocá-lo dentro do terceiro copo com água.
6. Pedir que os participantes digam o que observaram.

AVALIAÇÃO:
Em qual das três situações a nossa fé se encontra?

Meu Acalanto


Me acalenta a alma,
Me serena a alma,
Me acalma a alma,
Ó meu bondoso Jesus!

Lava minha mente
no teu sangue puro,
dá-me a tua cura,
Enche-me de Luz!

Quero paz na vida,
Um sorriso novo,
Uma vida de bênçãos
A que a fé conduz...

Sandra Medina Costa

domingo, 15 de fevereiro de 2009

Que hoje haja Paz dentro de mim



Que hoje haja Paz dentro de mim,
que eu possa confiar no poder mais alto que é Deus, pois estou exatamente onde devo estar,
que seja feita a vontade de Deus nosso Pai,
que eu não me esqueça das possibilidades infinitas que nascem da Fé,
que eu possa usar essas bênçãos que recebo e possa transmitir o Amor que me é dado,
que eu possa sentir-me satisfeito sabendo que sou filho de Deus e, permita-me Senhor,
que Sua presença se estabeleça em meus gestos e dê a minha alma a liberdade para cantar, dançar e aquecer-me na Sua Luz, que está aqui para todos nós.
Amém!

Por que as pessoas gritam?



Um dia, um mestre perguntou aos seus discípulos:
- Por que as pessoas gritam quando estão aborrecidas?
- Gritamos porque perdemos a calma, disse um deles.
- Mas por que gritar quando a outra pessoa está ao teu lado?
- Gritamos porque desejamos que a outra pessoa nos ouça.
- Não é possível falar-lhe em voz baixa?, retrucou o mestre.
Os homens deram algumas outras respostas, mas nenhuma delas satisfez o mestre. Finalmente, ele explicou:
- Quando duas pessoas estão aborrecidas entre si, seus corações se afastam muito um do outro. Para cobrir essa distância, elas precisam gritar para poder escutar-se mutuamente. Quanto mais aborrecidas estiverem, mais alto terão de gritar para um ouvir ao outro através dessa grande distância.
O mestre fez uma pausa e continuou:
- Por outro lado, o que sucede quando duas pessoas estão enamoradas? Elas não gritam, mas se falam suavemente. E por quê? Porque seus corações estão muito perto um do outro. Às vezes, estão tão próximos seus corações, que nem falam, somente sussurram. Outras vezes, não necessitam sequer sussurrar, apenas se olham e já basta. Seus corações se entendem. É isso que acontece quando dois enamorados estão próximos.
Então, o mestre completou:
- Portanto, no trabalho, quando discutirem, não deixem que seus corações se afastem, não digam palavras que magoem, fazendo-os distanciarem-se ainda mais. Porque senão chegará um dia em que a distância será tanta que não mais encontrarão o caminho de volta.

A Bíblia e o Celular


Já imaginou o que aconteceria se tratássemos a nossa Bíblia do jeito que tratamos o nosso celular?
E se sempre carregássemos a nossa Bíblia no bolso ou na bolsa?
E se déssemos uma olhada nela várias vezes ao dia?
E se voltássemos para apanhá-la quando a esquecemos em casa, no escritório...?
E se a usássemos para enviar mensagens aos nossos amigos?
E se a tratássemos como se não pudéssemos viver sem ela?
E se a déssemos de presente às crianças?
E se a usássemos quando viajamos?
E se lançássemos mão dela em caso de emergência?
Mais uma coisa: Ao contrário do celular, a Bíblia não fica sem sinal. Ela 'pega' em qualquer lugar. Não é preciso se preocupar com a falta de crédito porque Jesus já pagou a conta e os créditos não têm fim. E o melhor de tudo: não cai a ligação e a carga da bateria é para toda a vida.
'Buscai ao Senhor enquanto se pode achar, invocai-o enquanto está perto'! (Is 55:6)

Basta Querer


Composição: Jorge Guedes

Meu pensamento vive em você, a luz do meu viver, Senhor.
Basta entrar, e eu me abrir pra Te amar,
nem precisa perguntar, Te amo!
Há um clima todo diferente,
que aquece e mexe com o coração da gente.

É como um sonho, É como um sonho.
Eu me dou por inteiro, Teu é meu coração.
E ao Teu lado, eu sempre sigo, já não há mais talvez,
basta querer pra te ver outra vez.

Arca de Noé


… contempla el secreto del arcoíris, deja que te hable, que su sinfonía se convierta en un murmullo interior en el que la pluralidad y la diversidad muestren una hermosa conjunción.
He aquí algunas cosas que aprendí del Arca de Noé:

UNO: No pierdas el barco.
DOS: Recuerda que todos estamos en el mismo barco.
TRES: Planifica previamente. No estaba lloviendo cuando Noé construyó el arca.
CUATRO: Mantente en forma… alguien puede pedirte que hagas algo realmente grande.
CINCO: No escuches las críticas, sólo continúa con el trabajo que debe ser realizado.
SEIS: Construye tu futuro en tierras altas.
SIETE: Por razones de seguridad, trabaja en equipo.
OCHO: La velocidad no es siempre una ventaja. Los caracoles estaban a bordo con los guepardos.
NUEVE: Cuando estés estresado, flota por un tiempo.
DIEZ: Recuerda, el arca fue construida por principiantes, el Titanic por profesionales.
ONCE: no importa la tormenta, cuando estás con Dios, siempre hay un arco iris esperando.

Isaías 43:2-Cuando pases por las aguas, yo estaré contigo: y si por los ríos, no te anegarán. Cuando pases por el fuego, no te quemarás, ni la llama arderá en ti.


sexta-feira, 13 de fevereiro de 2009

Tarde Te Amei


Tarde te amei;
ó beleza antiga e tão nova, tarde te amei!...
Estavas dentro de mim, e eu, voltado para fora, procurava as formas belas das tuas criaturas.

Estavas comigo, mas eu não estava contigo.

Assim, longe de ti me detinham as criaturas que nada seriam, se em ti não existissem.

Tu me chamaste, e teu grito foi maior que minha surdez; tu brilhaste, e tua luz venceu minha cegueira; espalhaste teu perfume,
que eu senti, e agora te desejo; provei do teu sabor, agora tenho fome e sede de ti; tu me tocaste, agora em mim arde o desejo da tua paz.

Santo Agostinho
(imagem agustinasmisioneras)

Tomé, onde está a tua fé?


Material: Tiras de papel e caneta.
Na brincadeira Tomé onde está a tua fé? teremos os personagens: Jesus, Tomé e os apóstolos.
Escreva sobre um papel "Jesus", sobre outro "Tomé" e tantos "Apóstolos" quantos necessários para completar o número de crianças. Dobre os papeis e sorteie.
As crianças se colocam num círculo e "Jesus" deve discretamente piscar com um olho para qualquer das crianças, enquanto "Tomé" tenta descobrir qual criança é "Jesus".
Jesus é sinal de vida nova, quando ele piscar, se a criança for um apóstolo deverá dizer:
- Jesus está presente e vivo no meio de nós!
Tomé não acredita que Jesus esteve presente no meio dos apóstolos porque não o vê, procura descobrir onde está Jesus.
Quando Tomé descobrir, ou pensar que descobriu, este indicará a pessoa dizendo:
- Mestre, é você mesmo!
Caso a criança que Tomé indicou seja um dos apóstolos, então, quem estiver representando Jesus, manifesta-se dizendo:
- Tomé, onde está a sua fé???

(Thais Regina Polla - Católica, SP)

JESUS NO S.U.S.


S.U.S. = Sistema Único de Saúde

Jesus Cristo resolveu voltar a Terra... E decidiu vir vestido de médico!
Procurou um lugar para descer, escolheu no Brasil um posto de saúde do sistema SUS.
Viu um médico trabalhando por muitas horas e morrendo de cansaço. Jesus então entrou de jaleco, passando pela fila de pacientes no corredor, até atingir o consultório médico. Os pacientes viram e falaram:
- Olha aí, vai trocar o plantão.
Jesus Cristo entrou na sala e falou para o colega que podia ir, que ele iria tocar o ambulatório dali por diante.
E, todo resoluto, gritou:
- O PRÓXIMO.
Entrou no consultório um homem paraplégico em sua cadeira de rodas. Jesus Cristo levantou-se, olhou bem para o aleijado, e com a palma da mão direita sobre sua cabeça disse:
- LEVANTA-TE E ANDA!
O homem levantou-se, andou e saiu do consultório empurrando a própria cadeira de rodas. Quando chegou ao corredor, o próximo da fila perguntou:
- E aí, como é esse Doutor novo?
Ele respondeu:
- Igualzinho aos outros... Nem examina a gente!

É... tem gente que já recebeu o milagre, mas nem se toca, pois só vive pra reclamar ou botar defeito em tudo nessa vida! Já pensou?

Meu Coração


Meu coração
somente em Ti se alegra
porque Tu és,
ó Senhor,
a minha Luz.

Meu coração
somente em Ti descansa
porque Tu és,
ó Senhor,
a minha Paz.

Sandra Medina Costa

"Então minh'alma canta a Ti, Senhor!
Quão grande és Tu,
quão grande és Tu!"

Humildade


O sinal da grandeza é a humildade.
Na extensão em que nós permanecemos humildes,
nós nos tornamos grandes no coração de todos.

Humildade facilmente nos torna sem ego.
A semente da humildade naturalmente nos capacita a reivindicar o fruto da grandeza.
Este é o método fácil para receber bênçãos de todos.

Humildade nos torna dignos de louvor / gratidão.
Ela cria um lugar de amor na mente dos outros
e nos torna mestres doadores de felicidade, iguais ao Pai.

(Brahma Kumaris)

quinta-feira, 12 de fevereiro de 2009

Bem Aventurados os Pobres de Espírito



Durante o sermão da montanha, o mestre Jesus afirmou: "Bem-aventurados os pobres de espírito, porque deles é o reino dos céus."
Ainda hoje muito se fala sobre tal ensinamento. Eis que grande interesse desperta em todos os que tomaram conhecimento dos ensinos de Jesus. No entanto, tal ensino, como tantos outros, resta ainda incompreendido pelos homens. O que, afinal, o mestre pretendia proclamar?
Jesus proclama que Deus quer espíritos ricos de amor e pobres de orgulho.
Os espíritos ricos são aqueles que acumulam os tesouros que não se confundem com as riquezas da terra. Seus bens não são jamais corroídos pelas traças, tampouco podem ser subtraídos pelos ladrões. Os "pobres de espírito" são os que não têm orgulho. São os humildes, que não se envaidecem pelo que sabem, e que nunca exibem o que têm. A modéstia é o seu distintivo, porque os verdadeiros sábios são aqueles que têm idéia do quanto não sabem.
Por isso a humildade é considerada requisito indispensável para alcançar-se "o reino dos céus". Sem a humildade nenhuma virtude se mantém. A humildade é o propulsor de todas as grandes ações em todas as esferas de atuação do homem. Os humildes são simples no falar. São sinceros e francos no agir. Não fazem ostentação de saber, nem de santidade.
A humildade, tolerante em sua singeleza, compadece-se dos que pretendem afrontá-la com o seu orgulho. Cala-se diante de palavras loucas. Suporta a injustiça. Vibra com a verdade. A humildade respeita o homem não pelos seus haveres, mas por suas reais virtudes. A pobreza de paixões e de vícios é a que deve amparar o viajor que busca sinceramente a perfeição.
Foi esta a pobreza que Jesus proclamou: a pobreza de sentimentos baixos, representada pelo desapego às glórias efêmeras, ao egoísmo e ao orgulho. Há muitos pobres de bens terrenos que se julgam dignos "do reino dos céus", mas que, no entanto, têm a alma endurecida e orgulhosa. Repudiam a Jesus e se fecham nos redutos de uma fé que obscurece seus entendimentos e os afasta da verdade. Não é a ignorância nem tampouco a miséria que garantem aos seres a felicidade prometida por Jesus. O que nos encaminha para tal destino são os atos nobres, embasados na caridade e no amor incondicional. Precisamos, também, adquirir conhecimentos que nos permitam alargar o plano da vida, em busca de horizontes mais vastos.
Pobres de espírito são os simples e nobres. Não os orgulhosos e velhacos. Pobres de espírito são os bons que sabem amar a Deus e ao próximo, tanto quanto amam a si próprios. São aqueles que observam e vivem as leis de Deus. Estudam com humildade. Reconhecem o quanto ainda não sabem. Imploram a Deus o amparo indispensável às suas almas.
Era a respeito desses homens que o Mestre Nazareno, em Suas bem-aventuranças, estava se referindo. Muitos são os que confundem humildade com servilismo. Ser humilde não significa aceitar desmandos e compactuar com equívocos. Ser humilde é reconhecer as próprias limitações, buscando vencê-las, sem alarde, nem fantasias. É buscar, incansavelmente, a verdade e o progresso pessoal, nas trilhas dos exemplos nobres e dignos.

Equipe do site www.momento.com.br, com base no capítulo denominado "Pobres de Espírito e Espíritos Pobres", do livro Parábolas e Ensinos de Jesus, de Cairbar Schutel.

A Experiência de Fé


"Há um elemento de grande importância na vida cristã. É a experiência de fé. Ela alimenta a nossa vida na caminhada do dia-a-dia. Necessitamos dela como pessoas, como família, como comunidade e como sociedade. A Sagrada Escritura, tanto no Antigo como no Novo Testamento, traz-nos esta evidência. Nela, a fé é que possibilita a vida, num permanente ser e estar com Deus e na consciência de que caminhamso na sua presença. Na nossa vida, ela faz-se presente por meio de palavras, é sentida pelas emoções e sentimentos e torna-se prática. Em tudo isso, a fé sustenta nossa vida, tornando-se fonte da moral, inspiradora da ética."

Frei Nilo Agostini, OFM - Autor do livro Introdução à Teologia Moral: o grande sim de Deus à vida, VOZES.
Fonte: Folhinha do Sagrado Coração de Jesus.

quarta-feira, 11 de fevereiro de 2009

Salmo 61, 1-13


Salmo de Davi.

"Só em Deus repousa minha alma, só dele me vem a salvação. Só ele é meu rochedo, minha salvação; minha fortaleza: jamais vacilarei. Até quando, juntos, atacareis o próximo para derribá-lo como a uma parede já inclinada, como a um muro que se fendeu? Sim, de meu excelso lugar pretendem derrubar-me; eles se comprazem na mentira. Enquanto me bendizem com os lábios, amaldiçoam-me no coração.
Só em Deus repousa a minha alma, é dele que me vem o que eu espero. Só ele é meu rochedo e minha salvação; minha fortaleza: jamais vacilarei. Só em Deus encontrarei glória e salvação. Ele é meu rochedo protetor, meu refúgio está nele.
Ó povo, confia nele de uma vez por todas; expandi, em sua presença, os vossos corações. Nosso refúgio está em Deus. Os homens não passam de um sopro, e de uma mentira os filhos dos homens. Eles sobem na concha da balança, pois todos juntos são mais leves que o vento. Não confieis na violência, nem espereis vãmente no roubo; crescendo vossas riquezas, não prendais nelas os vossos corações.
Numa só palavra de Deus compreendi duas coisas: a Deus pertence o poder, ao Senhor pertence a bondade. Pois vós dais a cada um segundo suas obras." (Salmo 61, 1-13)

Espero que você não tenha apenas lido. Espero que você viva porque a nossa confiança deve ser absoluta em Deus! (Pe. Marcelo Rossi)

Ao Acordar


Hoje, Senhor, agradeço pela noite maravilhosa, pelo cobertor que me aqueceu, pelo meu alimento, por mais um dia de trabalho. E principalmente por mais um dia de vida.
Abençoa, Senhor, meus amigos e inimigos, porque eles também precisam de Ti.
Abençoa, Senhor, o meu amigo que está lendo esta mensagem agora, realize os seus sonhos, lhe dê a vitória que lhe é necessária, abençoe com proteção e sabedoria seus filhos e familiares, com gratidão e amor eu oro, no santo nome de Jesus.
Amém!

VATICANO - “AVE MARIA” aos cuidados de dom Luciano Alimandi - Converter-se e acreditar em Jesus



Cidade do Vaticano (Agência Fides) – A festa da conversão do Apóstolo Paulo, neste ano a ele dedicado, celebrada no último domingo, foi uma grande graça para nós cristãos, ligados à Sagrada Liturgia “fonte da vida”. É pausa de reflexão e de oração para renovar o propósito mais importante: a conversão!
Sim, a conversão requer muito empenho, mas é também bonito poder estar na vida de fé. De fato, o autêntico cristão é um que se converte a Jesus e que sempre mais se converte, uma pessoa que crê em Jesus e que crê sempre mais, uma pessoa que foi conquistada por Ela e que se deixa sempre mais conquistar pelo Evangelho. Não existe santidade de vida sem uma conversão permanente, porque é impossível seguir Jesus sem ter no coração a disposição da conversão, ou seja, de deixar para trás o egoísmo, de abrir o coração para dar espaço para Ele.
O Senhor o afirma com palavras inequivocáveis: “em verdade vos digo, se não vos converterdes e não vos tornardes como as crianças, de modo algum entrareis no Reino dos Céus” (Mt 18, 3). A conversão é um tornar-se criança, um tornar-se pequeno e simplificar-se diante dos próprios olhos, diante dos outros, e sobretudo, diante de Deus.
Converte-se para ser capaz de assumir as disposições do Coração de Jesus: as suas virtudes. Por causa do pecado, tais virtudes não as exercemos sem um esforço. Com a Sua graça, as devemos conquistar, com empenho interior, a cada dia.
Esta escola de conversão, que o cristão deve frequentar a cada dia, tem como livro fundamental: o Evangelho de Jesus. Os seus ensinamentos, que representam o único Mestre de todos, são os Apóstolos com os seus sucessores, os bispos e o Papa, Vigário de Cristo e Sucessor de Pedro, bispos de Roma. Eles nos transmitem o que receberam no sulco da Tradição da Igreja. Os estudantes já “aprovados” são os santos que, do céu, estão sempre prontos a nos ajudar, a nos dar aulas suplementares para viver o que eles mesmos viveram, começando pelo comportamento maior, o Amor a Deus e ao próximo.
Nesta escola estamos todos na mesma classe, porque não se fazem preferências, a Verdade é uma só. O Evangelho, de fato, é igual para todos e quem quer realmente aprender o deve praticar. Ninguém pode fazer valer diante de Deus os títulos ou as condições sociais, para obter um “desconto”, um tratamento especial. O Novo Testamento o afirma claramente, pela boca do primeiro Papa: “Deus não faz acepção de pessoas” (At 10, 34). Todos, nestas “carteiras” da escola do Evangelho, são irmãos, porque um só é o Senhor e Mestre: Jesus de Nazaré. Ele distribui a cada um os talentos necessários para aprender e viver a comunhão com Ele na Igreja. Depois no final da escola, terá um prova final, que acontecerá na hora de nossa morte, quando cada um deverá responder a Deus por si mesmo: “Senhor, tu me confiaste cinco talentos. Aqui estão outros cinco que ganhei” (Mt 25, 20) e o Senhor dará a recompensa prometida: “Muito bem, servo bom e fiel! Sobre o pouco foste fiel, te darei autoridade sobre muito te colocarei. Vem alegra-te com o teu Senhor” (Mt 25, 21).
Assim o cristão, na escola do Evangelho, se mostra discípulo sempre pronto a aprender coisas novas, a recomeçar do início, a partir somente da Palavra de Jesus, que a Igreja, como Mãe e Mestra, o anuncia incessantemente. Quanta gratidão leva no coração para o seu Senhor e Mestre que, como Bom Pastor, “o restaura e o guia por caminhos justos por causa de seu nome e coloca do lado do cristão a felicidade e a graça que o seguirão todos os dias de sua vida” (Sl 22, 3.6)!
A conversão é o primeiro anúncio da Igreja, porque é o primeiro anúncio do Evangelho e deve ser o primeiro compromisso do Cristão. O apóstolo São Paulo nos ajuda a nos converter, a encarnar na vida o Evangelho de Jesus, como o Santo Padre Bento XVI nos ensinou: “A experiência do Apóstolo pode ser modelo de uma autêntica conversão cristã. A conversão de Paulo se amadureceu no encontro com Cristo ressuscitado; foi este encontro que mudou radicalmente a sua existência. No caminho de Damasco acontece com ele o que Jesus pede no Evangelho de hoje: Saulo se converteu porque, graças à luz divina, “acreditou no Evangelho”. Nisto consiste a sua e a nossa conversão: no acreditar em Jesus morto e ressuscitado e no abrir-se à iluminação de sua graça divina. Neste momento Saulo compreendeu que a sua salvação não dependia das obras boas realizadas pela lei, mas de que Jesus morreu também para ele, o perseguidor, e ressuscitou. Esta verdade, que graças ao batismo ilumina a existência de todo cristão, muda completamente o nosso modo de viver. Converter-se significa, também para cada um de nós, crer que Jesus “deu sua vida por mim”, morrendo na cruz (cfr. Gal 2,20) e, ressuscitou, vive comigo e em mim. Confiando-me na força de seu perdão, deixando-me tomar pela Sua mão, posso sair das areias movediças do orgulho e do pecado, da mentira e da tristeza, do egoísmo e de toda falsa segurança, para conhecer e viver a riqueza de seu amor” (Bento XVI, Angelus de 25 de janeiro de 2009).

Fonte: Agenzia Fides - 28/1/2009 -
www.fides.org

Imagem da web

Olhe!


Olhe para trás! Veja os obstáculos que você superou. Veja quanto você já aprendeu nesta vida e quanto já cresceu.

Olhe para frente! Não fique parado, levante-se quando tropeçar e cair. Peça ajuda à família e aos amigos. Estabeleça metas, tenha planos e prossiga com firmeza.

Olhe para dentro! Conheça o seu coração e analise seus projetos; mantenha puros os seus sentimentos. Não deixe que o orgulho, a vaidade e a inveja dominem seus pensamentos e seu coração.

Olhe para baixo! Perceba as pequenas coisas e aprenda a valorizá-las.

Olhe para cima! Há um Deus maior do que você, que o ama muito! E tem todas as coisas sob seu controle.

Olhe para Deus! Perceba a profundidade, a riqueza e o poder da bondade divina. Sinta esse Deus que olha por você em todos os dias da sua vida, em especial nos dias em que tudo parece sem sentido e sem ânimo.

Fonte: Folhinha do Sagrado Coração de Jesus (seleção de Marcelo Zandonadi Geraldo - Sertaneja / PR)
Imagem: agustinasmisioneras

terça-feira, 10 de fevereiro de 2009

E nós?


“Cristo veio
para salvar o que estava perdido,
para curar os doentes,
para dar vida nova aos pecadores..."
Nós
viemos
para
quê,
mesmo?...
...

Espíritos Evoluídos



Há alguns anos, nas olimpíadas especiais de Seattle, nove participantes, todos com deficiência mental, alinharam-se para a largada da corrida dos 100 metros rasos. Ao sinal, todos partiram, não exatamente em disparada, mas com vontade de dar o melhor de si, terminar a corrida e ganhar.
Um dos garotos tropeçou no asfalto, caiu e começou a chorar. Os outros oito ouviram o choro. Diminuíram o passo e olharam para trás. Então viraram e voltaram. Todos eles. Uma das meninas com Síndrome de Down ajoelhou, deu um beijo no garoto e disse:
- Pronto, agora vai sarar!
E todos os noves competidores deram os braços e andaram juntos até a linha de chegada. O estádio inteiro levantou e os aplausos duraram muitos minutos.. Talvez os atletas fossem deficientes mentais... Mas com certeza, não eram deficientes espirituais...

Isso porque, lá no fundo, todos nós sabemos que o que importa nesta vida, mais do que ganhar sozinho é ajudar os outros a vencer, mesmo que isso signifique diminuir os nossos passos...

Oração da Noite (1)



Louvado seja o Teu santo e poderoso nome, ó Deus!
Te rendemos graça por mais uma vez estarmos reunidos neste momento (citar os nomes), para os quais Vos pedimos graça, bênção... Também para todos aqueles que nos seus lares, no trabalho, aqueles que se colocam à Tua disposição para Vos louvar e honrar o Teu nome, ó Pai. Pois é o Senhor que guarda a nossa entrada e a nossa saída. Por isso, guarda e abençoa os trabalhadores, (citar). Que tenham a Tua proteção. Envia Teus anjos a ministrarem bênçãos. Ordena sobre eles a bênção que lhes trará a paz, a saúde, a sabedoria. De tal modo que seja feita a Vossa vontade assim na terra como ela é feita no céu. Colocamos nossas vidas em Tuas mãos e sob Tua direção, pelo que desde já vos agradecemos, louvamos e bendizemos.

Amém. Amém. Amém.

Rompendo em Fé


Cada vez que a minha fé é provada
Tu me dás a chance de crescer um pouco mais
As montanhas e vales, desertos e mares
Que atravesso me levam pra perto de Ti

Minhas provações não são maiores que o meu Deus
E não vão me impedir de caminhar
Se diante de mim não se abrir o mar
Deus vai me fazer andar por sobre as águas

Rompendo em fé, minha vida se revestirá do Teu poder
Rompendo em fé, com ousadia vou mover o sobrenatural
Vou lutar e vencer, vou plantar e colher
A cada dia vou viver rompendo em fé

(Diante Do Trono)

Uma formiga me levou a rezar



Outro dia, vi uma formiga que carregava uma enorme folha. A formiga era pequena e a folha devia ter, no mínimo, dez vezes o tamanho dela. A formiga a carregava com sacrifício.
Ora a arrastava, ora a tinha sobre a cabeça. Quando o vento batia, a folha tombava, fazendo cair também a formiga. Foram muitos os tropeços, mas nem por isso a formiga desanimou de sua tarefa.
Eu a observei e acompanhei, até que chegou próximo de um buraco, que devia ser a porta de sua casa.
Foi quando pensei:
- “Até que enfim ela terminou seu empreendimento”. Ilusão minha.
Na verdade, havia apenas terminado uma etapa. A folha era muito maior do que a boca do buraco, o que fez com que a formiga a deixasse do lado de fora para, então, entrar sozinha.
Foi aí que disse a mim mesmo:
- “Coitada, tanto sacrifício para nada”.
Lembrei-me ainda do ditado popular:
- “Nadou, nadou e morreu na praia”.
Mas a pequena formiga me surpreendeu. Do buraco saíram outras formigas, que começaram a cortar a folha em pequenos pedaços. Elas pareciam alegres na tarefa. Em pouco tempo, a grande folha havia desaparecido, dando lugar a pequenos pedaços e eles estavam todos dentro do buraco.
Imediatamente me peguei pensando em minhas experiências. Quantas vezes desanimei diante do tamanho das tarefas ou dificuldades ?
Talvez, se a formiga tivesse olhado para o tamanho da folha, nem mesmo teria começado a carregá-la.
Invejei a persistência, a força daquela formiguinha. Naturalmente, transformei minha reflexão em oração e pedi ao Senhor:
“Que me desse a tenacidade daquela formiga, para “carregar” as dificuldades do dia-a-dia”;
“Que me desse a perseverança da formiga, para não desanimar diante das quedas”;
“Que eu pudesse ter a inteligência, a esperteza dela, para dividir em pedaços o fardo que, às vezes, se apresenta grande demais”;
“Que eu tivesse a humildade para partilhar com os outros o êxito da chegada, mesmo que o trajeto tivesse sido solitário”.
Pedi ao Senhor a graça de, como aquela formiga, não desistir da caminhada, mesmo quando os ventos contrários me fazem virar de cabeça para baixo, mesmo quando, pelo tamanho da carga, não consigo ver com nitidez o caminho a percorrer.
A alegria dos filhotes que, provavelmente, esperavam lá dentro pelo alimento, fez aquela formiga esquecer e superar todas as adversidades da estrada.
Após meu encontro com aquela formiga, saí mais fortalecido em minha caminhada. Agradeci ao Senhor por ter colocado aquela formiga em meu caminho, ou por me ter feito passar pelo caminho dela.
Sonhos não morrem, apenas adormecem na alma da gente.

Imagem da web
(desconheço o autor)

sábado, 7 de fevereiro de 2009

Tempo de ousar



São muitos os anseios para reconfiguração da organização social e política da sociedade mundial
Dom Walmor Oliveira de Azevedo, arcebispo metropolitano de Belo Horizonte

O Eclesiastes, o homem da assembléia, seu significado na língua grega, apresenta o pensamento de um sábio ancião com o intuito de instruir os jovens. Suas ricas exortações para conduzir bem a vida incluem sábias indicações no capítulo 3º. Vale a pena recordá-las para reavivar, em oração, no próprio coração, tão pertinentes advertências e indicações. Ele diz: “Tudo tem seu tempo. Há um momento oportuno para cada coisa debaixo do céu – tempo de nascer e tempo de morrer; tempo de plantar e tempo de arrancar o que se plantou; tempo de matar e tempo de curar; tempo de destruir e tempo de construir; tempo de chorar e tempo de rir; tempo de lamentar e tempo de dançar; tempo de espalhar pedra e tempo de as ajuntar; tempo de abraçar e tempo de se afastar dos abraços; tempo de procurar e tempo de perder; tempo de guardar e tempo de jogar fora; tempo de rasgar e tempo de costurar; tempo de calar e tempo de falar; tempo do amor e tempo do ódio; tempo de guerra e tempo de paz”.

Há, também, o tempo de ousar! Este tempo, o tempo de hoje, é tempo de ousar. É tempo de ousar em se considerando as grandes urgências e demandas para configurar adequadamente o horizonte novo que a humanidade procura. É tempo de ousar, em se considerando quase completa a primeira década da história deste terceiro milênio, reclamando novas dinâmicas e entendimentos que recuperem valores perdidos e dimensões irrenunciáveis para o equilíbrio e saúde da vida na Terra. São muitos os anseios para reconfiguração da organização social e política da sociedade mundial; a urgência de uma ordem nova para o funcionamento econômico para superação das crises que continuam afetando o equilíbrio da vida no planeta e, particularmente, os descasos e indiferenças com os deserdados da Terra.

Ousar neste tempo não é apenas arquitetar números impressionantes ou gabar-se de conquistas que acomodam. Ousar neste tempo, neste tempo de ousar, é abrir espaço para atuação e condução de lideranças que estejam movidas por valores espirituais e morais capazes de ajudar a humanidade, grupos sociais e diferentes segmentos da sociedade a fixarem o olhar para além das fronteiras do egoísmo e das comodidades individuais e territoriais. Essa competência tem de se mover pela força aglutinadora e criativa de valores que sustentam uma permanente capacidade de altruísmo e de sonhar, entregando a sua própria vida pela causa, sem medo e sem mesquinhez.

Penam as instituições que não têm essas lideranças. Amargam sem avançar as instituições que têm lideranças que, ao contrário de iluminar, com a força de sua força espiritual e inteligência criativa, os cargos que ocupam, vivem o devaneio de serem iluminadas pelos cargos que ocupam. Não ousa quem ocupa um cargo ou desempenha uma responsabilidade, seja ela qual for, quem apenas encontrou, no cargo que exerce ou na responsabilidade atribuída, um lugar ao sol. Só ousa, neste tempo de ousar, quem cultiva dons e referências espirituais e morais que propiciam iluminação singular, com inovações criativas e propostas audaciosas, para os funcionamentos sob sua responsabilidade.

Neste tempo de ousar, é tempo de combate à mediocridade, que grassa mundo afora. A mediocridade é a contramão da coragem de ousar. Seus sintomas aparecem nas antífonas de lamentação, na justificação estéril de que isso já se tentou, na fixação do que já se fez, na incapacidade de posturas audaciosas que mudem dinâmicas de costumes e hábitos obsoletos e já irrelevantes. O ponto de apoio para ousar, a crise contemporânea está apontando, embora com dificuldades para se admitir, é uma base espiritual, transcendente e eivada de valores morais e éticos, como a fonte inesgotável do evangelho de Jesus Cristo, sua vida e sua missão. O enraizamento em ideologias na contramão da espiritualidade e do contato com valores morais, bem como a arraigada concepção de que a economia, o mercado, definem a vida, atrasam o passo novo na capacitação para as exigências próprias deste tempo de ousar.

Agora é a hora do surgimento de lideranças que, apoiadas no fulcro de novos valores morais e éticos, assentadas na força da espiritualidade, tenham força de congregação, rebatizando sentimentos, ideais e fomentando a coragem de viver e lutar por razões mais nobres, comprometidas sempre com o bem de todos e com o sonho de uma nova ordem econômica, social e política. As inovações técnicas e mesmo as indicações estratégicas não terão consistência, com força de mudança, sem o sustento de lideranças que podem ousar porque têm esse indispensável substrato para fazer ver e experimentar que a força que sustenta está para além da simples ideologia ou de comandos com cheiro de dominação. As instituições religiosas, governamentais, civis e todas as outras estão desafiadas a abrir o ciclo novo deste tempo novo, tempo de ousar.

Postagens mais visitadas