.

.
Imagem da reflejosdeluz.net

quinta-feira, 31 de julho de 2014

ORAÇÃO PARA PEDIR O BOM HUMOR



Senhor, dai-me uma boa digestão e também algo para digerir. Dai-me a saúde do corpo e o bom humor necessário para mantê-la. Dai-me, Senhor, uma alma simples que saiba aproveitar tudo aquilo que é bom e que nunca se assuste diante do mal, mas, pelo contrário, encontre sempre uma maneira de pôr cada coisa no seu lugar. Dai-me uma alma que não conheça o tédio, as murmurações, as mágoas e as lamentações; e não permita que me preocupe excessivamente com aquela coisa complicada demais que se chama “eu”. Dai-me, Senhor, o senso do bom humor. Concedei-me a graça de apreciar tudo o que é divertido para descobrir na vida um pouco de alegria e também para partilhá-la com os outros. Amém.
(São Thomas More)

Luz e alimento


Vigiai e orai


Uma palavra de ânimo


domingo, 27 de julho de 2014

Sabedoria e paciência


Seus pedidos são um grão de areia


Cristo nos levanta


A pérola do Reino


Mt 13,44-52
Jesus é o autêntico Mestre. E, como tal, exerce toda a autoridade que lhe foi dada (cf. Mt 28,18) para ensinar e revelar a sabedoria, a riqueza e a grandeza que envolvem a dimensão do Reino. Descobrir toda essa preciosidade do Reino é encontrar o grande tesouro da existência. Nada é mais significativo do que a "pérola do Reino". Pois é a única de valor incalculável e eterno. Tudo o mais é transitório e passageiro.  O que não passa é o valor do Reino, que é vital, permanente e definitivo. Sábio é todo aquele que, tendo descoberto esse "tesouro", "vende" tudo o mais, para adquiri-lo. Entre o superficial e o essencial, melhor é adquirir o vital, de valor imutável, que é o Reino dos Céus, conforme manifestado pelo Cristo Senhor.

Frei Valnei Brunetto, OFM - Folhinha do Sagrado Coração de Jesus

Mt 13,44-52


Mt 13,44-52
44.O Reino dos céus é também semelhante a um tesouro escondido num campo. Um homem o encontra, mas o esconde de novo. E, cheio de alegria, vai, vende tudo o que tem para comprar aquele campo.
45.O Reino dos céus é ainda semelhante a um negociante que procura pérolas preciosas.
46.Encontrando uma de grande valor, vai, vende tudo o que possui e a compra.
47.O Reino dos céus é semelhante ainda a uma rede que, jogada ao mar, recolhe peixes de toda espécie.
48.Quando está repleta, os pescadores puxam-na para a praia, sentam-se e separam nos cestos o que é bom e jogam fora o que não presta.
49.Assim será no fim do mundo: os anjos virão separar os maus do meio dos justos
50.e os arrojarão na fornalha, onde haverá choro e ranger de dentes.
51.Compreendestes tudo isto? Sim, Senhor, responderam eles.

52.Por isso, todo escriba instruído nas coisas do Reino dos céus é comparado a um pai de família que tira de seu tesouro coisas novas e velhas.

Resistir à ira


Rios de água viva


O Príncipe da Paz


domingo, 20 de julho de 2014

Mármore


Um dia Michelangelo mostrou para seus discípulos uma pedra de mármore e disse-lhes: “aí dentro há um anjo, vou colocá-lo para fora”. E começaram a trabalhar a pedra. Logo o anjo foi surgindo nas mãos geniais do artista. Seus alunos admirados lhe perguntaram: “Mestre, como foi possível isto?” Ele lhes respondeu: “o anjo já estava dentro da pedra, nós apenas o colocamos para fora tirando o que estava sobrando (…)”.
Deus faz assim conosco, “vai tirando os excessos que estão sobrando” e impedindo o anjo de surgir em nossa alma. As marteladas e os cortes do Artista divino vão moldando-nos novamente a sua imagem e semelhança, como fomos criados. Isto pode doer, mas vale a pena.
(Prof. Felipe Aquino)

Vossa misericórdia


Obrigado, meu Deus!


Motivos para agradecer


sexta-feira, 18 de julho de 2014

O URUBU EM SEU PRÓPRIO DIREITO



Por Lélio Costa e Silva

As vozes da natureza mandam dizer que não sou eu o símbolo do azar.
Quero continuar a remexer a cabeça nua nas carnes putrefatas, executando a minha tarefa biológica, mas anseio também ser entendido como uma ave super-higiênica, integrante das cadeias alimentares.
Quero continuar a pôr meus ovos nos buracos e pedras dos morros, mas não desejo ver meus filhotes apedrejados e mal vistos pela espécie humana.
Quero abrir as asas ao sol e voar em espiral com os meus companheiros e mostrar que a minha plumagem pode ter o mesmo esplendor das outras aves irmãs.
Quero dispensar do meu desjejum as carcaças contaminadas pelos venenos acumulados, espalhados pelo ser humano - verdadeiras bombas de efeito retardado, que destroem a mim e a toda vida do planeta.
Quero desconsiderar a vergonha e o constrangimento das pessoas com a minha presença em frente às suas casas - “todo urubu tem que ir onde o lixo está”.
Quero entender essa ecologia urbana, onde o lixo se acumula cada vez mais em lotes, ruas, praças e margens de rios aumentando excessivamente o meu trabalho.
Finalmente, agradeço os adjetivos concedidos à minha espécie: lixeiro da natureza, sarcófago alado, inspetor do lixo, necrófago...
E, em nome de uma possível linguagem universal, deixo aqui o meu último pedido:

- pelo trabalho dobrado e pelo risco de vida, quero também receber as minhas horas-extras e o meu adicional de insalubridade.

Humildade ou soberba?


A mente otimista


Frutos e dons


Postagens mais visitadas