.

.
Imagem da reflejosdeluz.net

quinta-feira, 29 de outubro de 2015

O que temer? A quem temer?


O que temer? Nada.
A quem temer? Ninguém.
Por quê? Porque aqueles que se unem a Deus obtêm três grandes privilégios:
onipotência sem poder;
embriaguez sem vinho
e vida sem morte.


(São Francisco de Assis)

Jesus


JESUS
Minha luz...
Meu guia...
Meu protetor...
Meu Senhor...
Meu tudo!!!

O primeiro passo


A cura começa
no desejo de se curar.
O perdão,
no gesto inicial de perdoar a si mesmo.
Assim como o amor,
pra ser forte,
exige o desapego.
É difícil, isso é fato.
Só se trata do primeiro passo.


Sandra Medina Costa

quarta-feira, 28 de outubro de 2015

Novena a São Judas Tadeu


Oração para todos os dias
São Judas Tadeu, glorioso apóstolo, fiel servo e amigo de Jesus! A igreja Vos honra e invoca por todo o mundo como patrono dos casos desesperados e dos negócios sem remédio.
Rogai por mim que estou tão desolado! Eu Vos imploro, fazei uso do privilégio que tendes de trazer socorro imediato, onde o socorro desapareceu quase por completo. Assisti-me nesta grande necessidade, para que eu possa receber as consolações e o auxílio do céu em todas as minhas precisões, tribulações e sofrimentos.
São Judas Tadeu alcançai-me a graça que Vos peço.
(Faça o pedido da graça que deseja)
Eu Vos prometo, ó bendito São Judas, lembrar-me sempre deste grande favor e nunca deixar de Vos louvar e honrar como meu especial e poderoso patrono e fazer tudo o que estiver ao meu alcance para espalhar a Vossa devoção por toda a parte.

São Judas Tadeu, dos casos desesperados e dos negócios sem remédio, rogai por nós!
São Judas Tadeu, dos casos desesperados e dos negócios sem remédio, rogai por nós!
São Judas Tadeu, dos casos desesperados e dos negócios sem remédio, rogai por nós!
Amém.


Fonte: www.padrereginaldomanzotti.org.br

Ele vai além


"Os sonhos de Deus são maiores que os meus..."
...Ele vai além do que eu posso ver.

Fé na vida


Que sua fé na vida seja maior que seus medos.

De consciência limpa


Sirvamos a Deus de forma tranquila, de consciência limpa, aprendendo com os que vieram antes de nós.

terça-feira, 27 de outubro de 2015

segunda-feira, 26 de outubro de 2015

Nossa aclamada religiosidade


"Que honremos o fato de ter nascido, e que saibamos desde cedo que não basta rezar um Pai Nosso para quitar as falhas que cometemos diariamente. Essa é uma forma preguiçosa de ser bom. O sagrado está na nossa essência, e se manifesta em nossos atos de boa fé e generosidade, frutos de uma percepção profunda do universo, e não de ocasião. Se não estamos focados no bem, nossa aclamada religiosidade perde o sentido."

Martha Medeiros

Bem aventurado o homem que teme ao Senhor


Bem aventurado o homem que teme ao Senhor, que em seus mandamentos tem grande prazer! A sua descendência será poderosa na terra.
Sl 112:1-2

Sua vida


Tome cuidado com a sua vida, talvez ela seja o único evangelho que as pessoas leiam.
(São Francisco de Assis)

Tua bondade comigo


“Senhor, reconheço que tudo que fazes é perfeito embora eu não compreenda ou demore a concordar. Usa Tua bondade comigo e me ensina mais e mais sobre o que devo produzir para Ti.”
(Mário Fernandez)

domingo, 25 de outubro de 2015

O Evangelho


Pregue sempre o Evangelho. Se necessário use palavras.
(São Francisco de Assis)

Há sempre um jeito melhor


"...porque há sempre um jeito de fazer e dizer melhor as coisas..."
(João Ubaldo Ribeiro)

Caminhar seguro


Não há nada que nos motive mais que caminhar seguros nas mãos do Senhor, conversar com Ele durante a caminhada, ouvir Suas palavras de ânimo, sentir seu abraço quando alcançamos a meta.

Nosso Reino de Deus


"Reuniram-se então os fariseus para deliberar entre si sobre a maneira de surpreender Jesus nas suas próprias palavras.
Enviaram seus discípulos com os herodianos, que lhe disseram: Mestre, sabemos que és verdadeiro e ensinas o caminho de Deus em toda a verdade, sem te preocupares com ninguém, porque não olhas para a aparência dos homens.
Dize-nos, pois, o que te parece: É permitido ou não pagar o imposto a César?
Jesus, percebendo a sua malícia, respondeu: Por que me tentais, hipócritas?
Mostrai-me a moeda com que se paga o imposto! Apresentaram-lhe um denário.
Perguntou Jesus: De quem é esta imagem e esta inscrição?
De César, responderam-lhe. Disse-lhes então Jesus: Dai, pois, a César o que é de César e a Deus o que é de Deus."
Mateus 22,15-21

Nosso Reino de Deus. O que pertence a Deus, senão tudo em nossa vida, e mesmo nossa própria vida? E quantas vezes tentamos ludibriar essa única verdade - que tudo a Deus pertence - com desculpas, queixas e resmungos. Questionar a Jesus se é lícito pagar imposto a César é desvirtuar a realidade, desviar a atenção do real problema de exploração e opressão que o povo vivia. Quantos projetos e empreitadas assumimos que nos desviam simplesmente... Qual não é nossa falta de coragem em lutar pela construção de nosso mundo melhor chamado Reino de Deus. Que nosso cansaço e comodismo não sejam empecilhos e não turvem a clareza desse grandioso projeto de Deus para nossas vidas.

Frei Clauzemir Makximovitz - Folhinha do Sagrado Coração de Jesus

sábado, 24 de outubro de 2015

Comece


Comece fazendo o que é necessário, depois o que é possível, e de repente você estará fazendo o impossível.
(São Francisco de Assis)

Vencer


Nada consegue derrotar aquele que Deus escolheu para vencer!

A base de nossa vida


Cristo é a base de toda a nossa vida. Ele é o Senhor que nos edifica e nos conduz por caminhos de vitórias.

sexta-feira, 23 de outubro de 2015

quinta-feira, 22 de outubro de 2015

Palavras fraternais


Meus irmãos: Paz e Amor.
Quem trabalha, se renova.
Quem se renova, melhora.
Quem melhora se eleva.
Quem se eleva, adquire visão.
Quem vê, compreende.
Quem compreende, serve.
Quem serve, é humilde.
Quem é humilde, se ilumina.
Quem se ilumina, ajuda sempre.
Quem ajuda sempre, perdoa.
Quem perdoa, semeia paz.
Quem semeia a paz, ama.
Quem ama, sabe esperar.
Quem sabe esperar, atinge a fé.
Quem atinge a fé, renuncia.
Quem renuncia, alcança a Vida Eterna.


Fonte: do Livro Relicário de Luz

Pedido urgente


Meu pedido urgente, mas confiado: Que o Espírito Santo não nos abandone, porque tu és, Senhor, a minha fortaleza.

Felizes os que não viram e creram


“Então Jesus lhe disse: ‘Porque me viu, você creu? Felizes os que não viram e creram’.”
(João 20:29)

O motivador de nossa fé

Jesus é o motivador de nossa fé, a Luz que nos conduz por vales verdes de esperança.

quarta-feira, 21 de outubro de 2015

Coração sábio


“Filho meu, se o teu coração for sábio, alegrar-se-á também o meu.”
(Provérbios 23:15)

E a vida que agora


“E a vida que agora vivo na carne, vivo-a na fé no filho de Deus, o qual me amou, e se entregou a si mesmo por mim.”
(Gálatas 2:20)

Fartura


“O preguiçoso deseja e nada tem, mas a alma dos diligentes se farta.”
(Provérbios 13:4)

segunda-feira, 19 de outubro de 2015

Terço de Maria Santíssima: "Abre Caminhos"


- No início: Credo - Pai Nosso - Ave-Maria - Glória

- No lugar (nas contas) do Pai Nosso e Glória:
São Rafael com Tobias,
São Gabriel com Maria
e São Miguel com toda a hierarquia
abrindo todas as vias.

- No lugar (nas contas) das Ave-Marias:
"Maria Porta do Céu":
R: "Passa na frente".

- No final: Santo Anjo e Salve-Rainha

Quem é fiel


“Quem é fiel no pouco, também é fiel no muito, e quem é desonesto no pouco, também é desonesto no muito.”
(Lucas 16:10)

Tu és o meu Senhor


“Digo ao SENHOR: Tu és o meu Senhor; outro bem não possuo, senão a ti somente.”
(Salmos 16:2)

domingo, 18 de outubro de 2015

... e sereis filhos do Altíssimo


“... e sereis filhos do Altíssimo. Pois ele é benigno até para com os ingratos e maus.”
(Lucas 6:35)

Ensina a criança


“Ensina a criança no caminho em que deve andar, e, ainda quando for velho, não se desviará dele.”(Provérbios 22:6)

Tua Palavra


“Senhor, assim como fizeste aos teus discípulos logo após a tua ressurreição, abre-me o entendimento da Tua Palavra, e ajuda-me a colocá-la em prática todos os dias da minha vida.”
(V. Torres)

sábado, 17 de outubro de 2015

Oração do Papa Paulo VI para pedir chuva


A mão de Deus


Deus se faz visível no inesperado, nas menores coisas, nos pequenos gestos.
Até nas situações “ruins”. A mão de Deus, para quem está realmente ligado, é percebida em todo momento.

Campanha Missionária 2015


MENSAGEM DO PAPA FRANCISCO PARA O DIA MUNDIAL DAS MISSÕES DE 2015
(18 de Outubro de 2015)
Queridos irmãos e irmãs
O Dia Mundial das Missões 2015 se realiza no contexto do Ano da Vida Consagrada e recebe um estímulo para a oração e a reflexão. Na verdade, se todo batizado é chamado a testemunhar o Senhor Jesus proclamando a fé recebida como um presente, isso vale, de modo particular, para a pessoa consagrada, pois entre vida consagrada e missão existe uma ligação forte. O seguimento a Jesus, que determinou o surgimento da vida consagrada na Igreja, responde ao chamado a tomar a cruz e segui-Lo, a imitar a sua dedicação ao Pai e seus gestos de serviço e amor, e a perder a vida para reencontrá-la. Como a existência de Cristo tem um caráter missionário, os homens e mulheres que o seguem mais de perto assumem plenamente esse mesmo caráter.
A dimensão missionária, que pertence à própria natureza da Igreja, é intrínseca a todas as formas de vida consagrada, e não pode ser negligenciada sem deixar um vazio que desfigura o carisma. A missão não é proselitismo ou mera estratégia; a missão faz parte da “gramática” da fé, é algo imprescindível para quem escuta a voz do Espírito que sussurra “vem” e “vai”. Quem segue Cristo se torna missionário e sabe que Jesus «caminha com ele, fala com ele e respira com ele. Sente Jesus vivo junto com ele no compromisso missionário» (EG, 266).
A missão é ter paixão por Jesus Cristo e ao mesmo tempo paixão pelas pessoas. Quando nos colocamos em oração diante de Jesus crucificado, reconhecemos a grandeza do seu amor que nos dá dignidade e nos sustenta; e no mesmo momento percebemos que aquele amor que parte de seu coração transpassado se estende a todo o povo de Deus e a toda a humanidade; e assim sentimos também que Ele quer servir-se de nós para chegar cada vez mais perto de seu povo amado (cf. ibid., 268) e de todos aqueles que o procuram de coração sincero. No mandamento de Jesus: “ide”, existem cenários e sempre novos desafios para a missão evangelizadora da Igreja. Nela, todos são chamados a anunciar o Evangelho por meio do seu testemunho de vida; e os consagrados, especialmente, são convidados a ouvir a voz do Espírito que os chama para ir rumo às grandes periferias da missão, entre as pessoas que ainda não receberam o Evangelho.
O quinquagésimo aniversário do Decreto conciliar Ad gentes nos convida a reler e a meditar esse documento que despertou um forte impulso missionário nos Institutos de vida consagrada. Nas comunidades contemplativas, retomou luz e eloquência à figura de Santa Teresa do Menino Jesus, padroeira das missões, como inspiradora da ligação íntima da vida contemplativa com a missão. Para muitas congregações religiosas de vida ativa, o anseio missionário que surgiu do Concílio Vaticano II se concretizou com uma abertura extraordinária para a missão ad gentes, muitas vezes acompanhada pelo acolhimento a irmãos e irmãs provenientes de terras e culturas encontradas na evangelização, de modo que hoje se pode falar de uma interculturalidade difundida na vida consagrada. Por esse motivo, é urgente repropor o ideal da missão em seu centro: Jesus Cristo, e em sua exigência: o dom total de si ao anúncio do Evangelho. Não pode haver tratativa sobre isto: quem, pela graça de Deus, acolhe a missão, é chamado a viver de missão. Para essas pessoas, a proclamação de Cristo nas várias periferias do mundo se torna o modo de como viver o seguimento a Ele e a recompensa de muitas dificuldades e privações. Toda tendência que desvia dessa vocação, mesmo que acompanhada por motivos nobres relacionados com as muitas necessidades pastorais, eclesiais e humanitárias, não é coerente com o chamado pessoal do Senhor para servir o Evangelho.
Nos Institutos missionários, os formadores são chamados tanto a indicar com clareza e honestidade essa perspectiva de vida e ação, quanto a influir no discernimento de vocações missionárias autênticas. Dirijo-me de modo especial aos jovens, que ainda são capazes de testemunhos corajosos e atitudes generosas e por vezes contracorrentes: não deixem que lhes roubem o sonho de uma missão verdadeira, de doar-se ao seguimento a Jesus que requer o dom total de si. No segredo de sua consciência, pergunte-se o motivo pelo qual escolheu a vida religiosa missionária e meça a disponibilidade em aceitá-la por aquilo que é: dom de amor a serviço do anúncio do Evangelho, lembrando que, antes de ser uma necessidade para aqueles que não o conhecem, o anúncio do Evangelho é uma necessidade para quem ama o Mestre.
Hoje, a missão enfrenta o desafio de respeitar a necessidade de todos os povos poderem recomeçar de suas raízes e salvaguardar os valores de suas respectivas culturas. Trata-se de conhecer e respeitar as outras tradições e sistemas filosóficos e reconhecer, em cada povo e cultura, o direito de fazer-se ajudar por sua tradição na inteligência do mistério de Deus e no acolhimento ao Evangelho de Jesus, que é luz para as culturas e sua força transformadora.
Dentro dessa dinâmica complexa nos perguntamos: “Quem são os destinatários privilegiados do anúncio evangélico?” A resposta é clara e a encontramos no próprio Evangelho: os pobres, os pequenos e os enfermos, aqueles que muitas vezes são desprezados e esquecidos, aqueles que não podem te retribuir (cf. Lc 14,13-14). A evangelização dirigida preferencialmente a eles é sinal do Reino que Jesus veio trazer: «Existe um vínculo inseparável entre a nossa fé e os pobres. Não os deixemos nunca sozinhos» (EG, 48). Isso deve ser claro, especialmente para as pessoas que abraçam a vida consagrada missionária: com o voto de pobreza se escolhe seguir Cristo nessa sua preferência, não ideologicamente, mas como Ele, identificando-se com os pobres, vivendo como eles na precariedade da existência cotidiana e na renúncia de todo o poder para se tornar irmãos e irmãs dos últimos, levando-lhes o testemunho da alegria do Evangelho e a expressão da caridade de Deus.
Para viver o testemunho cristão e os sinais do amor do Pai entre os pequenos e os pobres, os consagrados são chamados a promover, no serviço da missão, a presença dos fiéis leigos. O Concílio Ecumênico Vaticano II afirmou: «Os leigos colaboram na obra de evangelização da Igreja, participando como testemunhas e como instrumentos vivos da sua missão salvífica» (AG, 41). É necessário que os consagrados missionários se abram sempre mais corajosamente para aqueles que estão dispostos a colaborar com eles, mesmo que por um tempo limitado, por uma experiência a campo. São irmãos e irmãs que desejam partilhar a vocação missionária inerente ao Batismo. As casas e estruturas das missões são lugares naturais para o seu acolhimento e apoio humano, espiritual e apostólico.
As Instituições e Obras missionárias da Igreja estão totalmente a serviço daqueles que não conhecem o Evangelho de Jesus. Para realizar de maneira eficaz esse objetivo, elas precisam dos carismas e do compromisso missionário dos consagrados, mas também os consagrados precisam de uma estrutura de serviço, expressão da solicitude do Bispo de Roma para garantir a koinonia, de modo que a colaboração e a sinergia sejam partes integrantes do testemunho missionário. Jesus colocou a unidade dos discípulos como uma condição para que o mundo creia (cf. Jo 17, 21). Essa convergência não equivale a uma submissão jurídico-organizacional a organismos institucionais ou a uma mortificação da fantasia do Espírito que inspira a diversidade, mas significa dar mais eficácia à mensagem do Evangelho e promover a unidade de propósitos que é também fruto do Espírito.
A Obra Missionária do Sucessor de Pedro tem um horizonte apostólico universal. Por isso precisa também dos muitos carismas da vida consagrada, para se dirigir ao vasto horizonte da evangelização e ser capaz de garantir uma presença adequada nas fronteiras e territórios alcançados.
Queridos irmãos e irmãs, a paixão do missionário é o Evangelho. São Paulo afirmou: «Ai de mim se eu não anunciar o Evangelho!» (1 Cor 9,16). O Evangelho é fonte de alegria, libertação e salvação para todos os homens. A Igreja é consciente desse dom, por isso não se cansa de proclamar incessantemente a todos «o que era desde o princípio, o que ouvimos e o que vimos com os nossos olhos» (1 Jo 1,1). A missão dos servidores da Palavra - bispos, sacerdotes, religiosos e leigos - é colocar todos, sem exceção, em relação pessoal com Cristo. No imenso campo da ação missionária da Igreja, todo batizado é chamado a viver bem o seu compromisso, segundo a sua situação pessoal. Os consagrados e consagradas podem dar uma resposta generosa a essa vocação universal a partir de uma intensa vida de oração e união com o Senhor e com o seu sacrifício redentor.
Confio a Maria, Mãe da Igreja e modelo de missionariedade, todos aqueles que, ad gentes ou no próprio território, em todos os estados de vida, colaboram com o anúncio do Evangelho e, de coração, concedo a cada um a Bênção Apostólica.
Vaticano, 24 de Maio – Solenidade de Pentecostes – de 2015.
Papa Francisco
Fonte: www.cnbb.org.br 

Postagens mais visitadas