.

.
Imagem da reflejosdeluz.net

sexta-feira, 25 de janeiro de 2013

Justificação do inocente (Sl 25)

De Davi. Fazei-me justiça, Senhor, pois tenho andado retamente e, confiando em vós, não vacilei.
Sondai-me, Senhor, e provai-me; escrutai meus rins e meu coração.
Tenho sempre diante dos olhos vossa bondade, e caminho na vossa verdade.
Entre os homens iníquos não me assento, nem me associo aos trapaceiros.
Detesto a companhia dos malfeitores, com os ímpios não me junto.
Na inocência lavo as minhas mãos, e conservo-me junto de vosso altar, Senhor,
para publicamente anunciar vossos louvores, e proclamar todas as vossas maravilhas.
Senhor, amo a habitação de vossa casa, e o tabernáculo onde reside a vossa glória.
Não leveis a minha alma com a dos pecadores, nem me tireis a vida com a dos sanguinários,
cujas mãos são criminosas, e cuja destra está cheia de subornos.
Eu, porém, procedo com retidão. Livrai-me e sede-me propício.
Meu pé está firme no caminho reto; nas assembleias, bendirei ao Senhor.
 
O salmista afirma a sua inocência, penhor da proteção divina; coloca a sua retidão como o único meio de ser atendido. Neste salmo, a confiança é maior do que a humildade. (Bíblia Sagrada Ave-Maria)
[imagem da web]

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postagens mais visitadas