.

.
Imagem da reflejosdeluz.net

sexta-feira, 18 de janeiro de 2013

O testemunho dos céus e da lei (Sl 18)

Ao mestre de canto. Salmo de Davi.
Narram os céus a glória de Deus, e o firmamento anuncia a obra de suas mãos.
O dia ao outro transmite essa mensagem, e uma noite à outra a repete.
Não é uma língua nem são palavras, cujo sentido não se perceba,
porque por toda a terra se espalha o seu ruído, e até os confins do mundo a sua voz; aí armou Deus para o sol uma tenda.
E este, qual esposo que sai do seu tálamo, exulta, como um gigante, a percorrer seu caminho.
Sai de um extremo do céu, e no outro termina o seu curso; nada se furta ao seu calor.
A lei do Senhor é perfeita, reconforta a alma; a ordem do Senhor é segura, instrui o simples.
Os preceitos do Senhor são retos, deleitam o coração; o mandamento do Senhor é luminoso, esclarece os olhos.
O temor do Senhor é puro, subsiste eternamente; os juízos do Senhor são verdadeiros, todos igualmente justos.
Mais desejáveis que o ouro, que uma barra de ouro fino; mais doces que o mel, que o puro mel dos favos.
Ainda que vosso servo neles atente, guardando-os com todo o cuidado;
quem pode, entretanto, ver as próprias faltas? Purificai-me das que me são ocultas.
Preservai, também, vosso servo do orgulho; não domine ele sobre mim, então serei íntegro e limpo de falta grave.
Aceitai as palavras de meus lábios e os pensamentos de meu coração, na vossa presença, Senhor, minha rocha e meu redentor.

Alegoria sobre as duas luzes dadas por Deus ao mundo: a dos céus e a da lei. (Bíblia Sagrada Ave-Maria)
[imagem da web]

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postagens mais visitadas